13 de abril de 2017

O soldado Devezas.

Passaram, há dias, 99 anos sobre o desastre de La Lys, cuja proximidade histórica ao nosso tempo curiosamente quase obliterou em relação a Alcácer Quibir. Mas ambos foram dois dos maiores desastres políticos e militares do nosso Passado.
Revendo a data reencontrei no meu espólio esta fotografia - bilhete postal, a quem finalmente associei um nome e uma biografia.

No verso:

Quem seria o J. F. Devezas?
Felizmente que o Arquivo Histórico Militar disponibiliza as fichas individuais dos militares que constituíram o C. E. P. - Corpo Expedicionário Português - homens que entre 1917 e 1919 se mobilizaram para as movimentações europeias e africanas decorrentes da nossa participação na I Grande Guerra.
Procurando «Devezas», encontrei a ficha de Joaquim Fernandes Devezas, natural de São Mamede Infesta, Matosinhos, filho de João Fernandes Devezas e Maria Rodrigues Louro.
Era 2.º sargento da 2.ª Companhia de Sapadores Mineiros
Foi ferido em 20 de Março de 1918 e obteve alta em 10 de Abril.
«Louvado por ser uma das praças que mais se distinguiram na coadjuvação técnica e disciplinar que prestaram aos oficiaes da sua unidade»
Embarcou para Portugal em 28 de Março de 1919.
Assim fiquei a saber que possuo uma pequena lembrança de um herói anónimo.
Mas, e a «Miquinhas», quem seria?

Sem comentários:

Enviar um comentário

A Democracia exige Responsabilidade individual. Nicks, anónimos ou mensagens insultuosas demonstram faltam de auto-estima, comportamentos associais e incapacidade de lidar com a opinião alheia e, como tal, não serão publicados.