3 de dezembro de 2010

Memória selectiva.

O Eduardo Pitta esqueceu-se, ou fez por se esquecer, do livro O Barão de Lavos, ao exaltar a panaceia libertária que a I República "permitiu". Se não conhece, vá ler. É um belo exercício de memória sobre o que os fraternos e democratas republicanos pensavam sobre a pederastia.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A Democracia exige Responsabilidade individual. Nicks, anónimos ou mensagens insultuosas demonstram faltam de auto-estima, comportamentos associais e incapacidade de lidar com a opinião alheia e, como tal, não serão publicados.