20 de agosto de 2010

Para quem é...

Quem me conhece sabe que amo incondicionalmente a minha terra. Que, a todo o lado que vou, encho a boca para dizer que sou natural de Cinfães. Nesse aspecto peco pelo tal bairrismo e por um regionalismo que "acuso" em outros... Outrossim quem me conhece também sabe que nunca recebi um único agradecimento dos meus conterrâneos pelo trabalho que tenho dedicado às gentes do meu concelho. E embora a mágoa de ser bem recebido em tantos lugares que não a terra que me viu nascer seja muito grande, é maior a vontade de abnegadamente dar sem receber. Faço-o com com o gosto poder honrar as minhas raízes, e louvar a terra onde estão os ossos dos meus antepassados. Cada um de nós devia empenhar-se em honrar o pai e a mãe e orgulhar-se do seu local de nascimento, esfroçar-se para contribuir para o seu engrandecimento. Num mundo tão desorientado, onde se cruzam e chocam tantas identidades, o lugar onde nascemos é a nossa âncora e, queiramos ou não, será sempre uma parte de nós... Mas, sempre que vejo algo como este vídeo, vem-me à lembrança que, às vezes, construímos na mente a ideia de uma terra excepcional, imaculada, perfeita e ímpar e, depois, lembramo-nos que os homens que nela moram não descansam que enquanto não a estragam.




Este vídeo é uma triste apologia ao vazio, aos clichés do costume: ao folclore, à comida, à pecuária. Lembram-se os "grandes" da terra: um bispo, um andebolista e um comentador desportivo abertamente ligado à extrema-direita portuguesa que há anos repudiou a sua própria terra ao ocultar publicamente de onde era natural. E, claro, Serpa Pinto, o cidadão do mundo que aqui foi baptizado e nunca mais cá voltou. A sofrível locutora lá respigou umas frases que eu escrevi no artigo da wikipédia sobre o património religioso e a padroeira Santa Cristina. Mistura Idade Média com Barroco e...o resto nem vale a pena falar referir. Aliás todo o "documentário" seria bem pior se não fosse tão mau. Mas isto não é apanágio desta pequena freguesia apelidada de "beleza natural". Repete-se às centenas pelo País. Portugal não quer ser melhor, acomodou-se à mediocridade. E basta.

2 comentários:

  1. O video é realmente pobre, parece um trabalho realizado pela turma do 9º ano, mas pelo menos tem o mérito de despertar a atenção e curiosidade para um lugar menos visível do nosso país. Quem nunca ouviu falar em Tendais, pode encontrar aqui um pretexto para investigar mais, interessar-se pela região, visitar (o Vale do Bestança deve ser lindíssimo..)e tirar as suas próprias conclusões.

    ResponderEliminar
  2. Quando um povo chega ao extremo de não merecer o que lhe foi dado de bandeja.

    ResponderEliminar

A Democracia exige Responsabilidade individual. Nicks, anónimos ou mensagens insultuosas demonstram faltam de auto-estima, comportamentos associais e incapacidade de lidar com a opinião alheia e, como tal, não serão publicados.