7 de janeiro de 2010

Quem conhece o estado da Cultura em Portugal, as dotações orçamentais para os Museus e para a salvaguarda do Património, as necessidades de milhares de licenciados desempregados ou com empregos precários, - mais ainda no tempo de crise em que nos encontramos -, a atribuição de dez milhões de euros para comemorar o regime chega a roçar os limites de um insulto atroz. Não digo que não se proporcionassem as devidas manifestações de júbilo pelo centenário da república - que muito aguentou, dados os tropeções que tem dado - mas a esta escala é coisa infame e pouco gloriosa. Basta olhar à nossa volta para perceber que há pouquíssimos motivos para justificar tamanhas festividades.

2 comentários:

  1. Que chatice Portugal ter um Património histórico e arquitectónico tão rico! Seria tudo tão mais fácil para os sucessivos governos portugueses se assim não fosse...facilitava-lhes muito mais a vida! Assim já podiam gastar (que gastam na mesma!)como futilidades e sem críticas...infelizmente até aposto que este lamento não é inédito...

    ResponderEliminar
  2. Ruinoso e ruidoso! Estes "festejos" de 2010 deixam amargo de boca...

    ResponderEliminar

A Democracia exige Responsabilidade individual. Nicks, anónimos ou mensagens insultuosas demonstram faltam de auto-estima, comportamentos associais e incapacidade de lidar com a opinião alheia e, como tal, não serão publicados.