22 de novembro de 2009

«Outro se querendo navegar pola rota do seu exórdio deles, pedindo a V.A. favor & emparo, pera que minha enferma escritura não seja ferida de línguas danosas. Parece-me injusta oração pedir tão alto esteio pera tão baixo edifício, quanto mais ainda que dino foram de tão nobre emparo, tenho considerado que Cristo filho de Deus sob emparo de poderio eternal do Padre & todos os seus bem aventurados santos não passaram por esta vida tão livres, que dos malditos detratores não fossem julgadas suas divinas obras, por humanas leviandades: sua santa doctrina, por máxima ignorância; sua manifesta bondade, por falsa malícia; sua santíssima graça, por sorretício engano; sua excelsa abstinência, por vil hipocrisia; sua celeste pobreza, por terreno vício

Gil Vicente

3 comentários:

  1. Gil Vicente. Na Sexta-feira mesmo fiquei " estarrecida " ao ouvir um sobrinho de 18 anos dizer que não falavam nele, quando lhe falei na Farsa de Inês Pereira e no Auto da Barca do Inferno: que nada sabia disso _ parece que o substituiram por Saramago.

    ResponderEliminar
  2. Nada que me espante. Quando os dicionários actuais preferem "actualizar-se" para o acordo ortográfico mas não têm vocabulário suficiente para decifrar um texto de Camilo, já podemos adivinhar o caminho que segue a Língua Portuguesa...obrigado pela visita

    ResponderEliminar
  3. O meu preferido é o Auto da Índia! a sátira é excelente!ehehe

    ResponderEliminar

A Democracia exige Responsabilidade individual. Nicks, anónimos ou mensagens insultuosas demonstram faltam de auto-estima, comportamentos associais e incapacidade de lidar com a opinião alheia e, como tal, não serão publicados.