1 de junho de 2009

Camiliana I




Eis a recente aquisição para a minha Camiliana. Bom negócio, como o são todos os livros de Camilo Castelo Branco. De resto, esta segunda edição (que no fundo é a primeira, pois foi aumentada com dois contos que não integravam a publicação de 1857) é um hino à ironia crítica e hilariante de CCB. Sigo para Espanha e deixo-vos com algumas palavras desta obra. Até breve.
«O demonio para a convivencia é muito melhor sugeito que o
homem. Se não crêem, leiam o que o padre Vieira prégou no quarto sabbado da
quaresma de 1652:
"Hão de vêr que Deus Nosso Senhor, tentado pelo demonio,
venceu o inimigo sem grande esforço; tentado pelo homem, viu-se em apêrtos de
que o salvou a sua divina coragem." Julgaes que o demonio não tenha uma
consummada litteratura com que vos enriqueça o espirito? "O demonio é mais
letrado, mais theologo, mais phylosofo, mais agudo, e mais subtil que todos os
homens". Isto diz o Bossuet portuguez, só não lhe chama "poeta": mais uma razão
para confiarmos no bom-siso do demonio posto que eu muitas vezes pensei que elle
trazia, pelo menos, a pontinha da cauda em algumas brochuras do meu
conhecimento.»
Nota bene: O Obliviário volta a ter comentários e, não sei se alguém reparou, mas no final da página pode aceder a breves linhas que vou enviando do twitter. Estando em viagem usarei um ou outro (blogue ou twitter) para dar notícias do périplo. Uma boa semana a todos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A Democracia exige Responsabilidade individual. Nicks, anónimos ou mensagens insultuosas demonstram faltam de auto-estima, comportamentos associais e incapacidade de lidar com a opinião alheia e, como tal, não serão publicados.