16 de fevereiro de 2009


Um do mais belos espectáculos que ocorre no Porto (quase ocultamente, dado o desinteresse dos transeuntes que ali passam apressados) é o florescimento das magnólias plantadas junto aos Congregados. Sobreviveram ao reboliço urbanístico que ali se deu e continuam a encantar, anunciando a chegada da primavera à cidade. Para mim são das árvores mais bonitas da cidade. A de flor branca já desabrochou. E mais uma vez está belíssima.

5 comentários:

  1. Por favor, volta lá e faz uma macro!!
    As Magnólias são lindas sim...

    ResponderEliminar
  2. ..." Que a magnólia te cresce como um livro entre as mãos Que a magnólia-essa é a verdade-cresce sempre- apesar de nós .Esta raiz que ela lançou no poema,pode bem significar que no ramo que ficar desse lado A flor que se abrir é já um pouco de ti.E a flor que te estendo´mesmo que a recuses Nunca a poderei conhecer, nem jamais, por muito que a ame, A colherei.A magnólia estende contra a minha escrita a tua sombra E eu toco na sombra da magnólia como se pegasse na tua mão" DANIEL FARIA

    ResponderEliminar
  3. A magnólia branca cá de casa já floresceu também! Antes aparece a flor da cor-de rosa.

    ( Nuno tenho curiosidade de saber o que anda a ler- tenho, por isso, lá, no ES, um pedido :) )

    ResponderEliminar

A Democracia exige Responsabilidade individual. Nicks, anónimos ou mensagens insultuosas demonstram faltam de auto-estima, comportamentos associais e incapacidade de lidar com a opinião alheia e, como tal, não serão publicados.