17 de novembro de 2008

Monumentos de Escrita: uma exposição a recordar.



Lembrou um amigo, e bem, que passou hoje um ano sobre a inauguração desta excelente exposição resultante de um não menos excelente projecto cujos resultados pude apreciar no Museu Grão Vasco, em Viseu. É claro que coisas como esta, no nosso país, são raras e precisam quem as acalente. Vivemos uma era de pobreza cultural motivada uma crise de criatividade - em Portugal agravada por anos e anos de uma pobre cultura de sacristia e de gabinete onde, quem singra são os lisonjeadores, os bem falantes, os pobretes e alegretes, os provincianos. Porque província, em Portugal, não é sinónimo de geografia física, mas mental e quem julga que cria com a mão estendida ou esfregando os toquinhos em sinal de servilismo, lembre-se que a vida é uma roda da fortuna. Travá-la é impossível, mas abrandar ou apressar a sua rotação, só depende da criatividade humana e não da subserviência. Os meus parabéns, pois, ao autor, fazendo votos para que soma e siga em mais e melhores concretizações.

1 comentário:

  1. "Porque é frágil a memória dos homens..."

    Tu presgas-me cada partida.
    Um grande abraço, sentido pelo teu gesto amigo.

    ResponderEliminar

A Democracia exige Responsabilidade individual. Nicks, anónimos ou mensagens insultuosas demonstram faltam de auto-estima, comportamentos associais e incapacidade de lidar com a opinião alheia e, como tal, não serão publicados.