1 de junho de 2008

E se boicotássemos o futebol?

Todo o santo dia os canais portugueses debitaram futilidades sobre futebol. Nem parece que estamos a atravessar uma crise. Um senhor, daqueles afoitos que vieram do interior profundo para ver a selecção nacional, disse que o que mais queria era que Portugal ganhasse o Europeu. Não quer melhores salários, nem que o preço dos combustíveis desça. Quer que a selecção ganhe. Os portugueses não querem, afinal, melhoria de vida - desejam ardentemente que um grupo de privilegiados, na maior parte pseudo-adultos que não passaram a fase da adolescência e a quem, todos os meses, é passado um cheque em branco, ganhem um jogo de futebol. Que metam uma bola numa baliza. Que dêem um chuto numa bola. Um pedaço de pele sintética cosida a rolar na erva. Um jogo. E aqui, perto da realidade, há desemprego, há fome, há angústia, há pobreza, há velhice, há solidão, há famílias desestruturadas, há marginalidade, e há exclusão. § Uma bola...? § Nos últimos dias tenho sido bombardeado com mensagens a apelar ao boicote das empresas petrolíferas - eu, que nem conduzo. Não seria melhor boicotarmos o futebol?

3 comentários:

  1. Ora aqui está uma proposta interessante! LOL

    ResponderEliminar
  2. Estou a ver que estás numa de Santo António, a pregar aos peixes.

    Dantes havia o analfabetismo e a censura para que o povo não falasse nem contestasse, agora há a esterilização intelectual das massas em versão de "democracia light". Tudo serve para o mesmo: ter poder, controlo, dinheiro.

    Pão e circo, soa-te a alguma coisa?

    Abraço!

    ResponderEliminar
  3. Ou dar uma bola, fabricada por uma criança na Ásia, a cada equipa.

    ResponderEliminar

A Democracia exige Responsabilidade individual. Nicks, anónimos ou mensagens insultuosas demonstram faltam de auto-estima, comportamentos associais e incapacidade de lidar com a opinião alheia e, como tal, não serão publicados.